Associação

Após algumas tentativas do passado finalmente em 2013 saiu do papel a Associação Brasileira de Cubo Mágico. A iniciativa tem como objetivo dar legitimidade e representatividade ao esporte no Brasil. Ter uma instituição que tenha valor dentro e fora do país é importante para obter recursos, incentivar a modalidade, realizar competições, reconhecer títulos nacionais etc. Por essa razão a ABCM foi fundada e há muito a se trabalhar em seus primeiros anos para que se solidifique e represente o maior número possível de cubistas brasileiros.

História de Fundação

Com as constantes dificuldades de reunião e debate dos vários entusiastas espalhados pelo país um grupo se formou para dar o pontapé inicial desses desafios. Com objetividade foram reunidos alguns membros da comunidade cubística para discutir os trabalhos iniciais, além de traçar diretrizes sobre os eventos do futuro. Para que não houvesse questões tendenciosas foram reunidas pessoas com histórico participativo no cubo e também recém chegadas, com olhar diferente e questionador, visando assim manter o grupo mais heterogênio.

O primeiro grupo foi formado pelos cubistas: Camila Oliveira, Carlos de Alcântara, Daniel Buck, Éder dos Santos, Gabriel Dechichi, Juliana Oliveira, Leandro Alleoni, Leonardo Tambellini, Matheus Oliveira, Pablo Cristian, Pedro Santos, Rafael Cinoto, Renan Cerpe, Rinaldo Pitzer, Rodrigo Ybarra, Walter Pereira e Willian Fidêncio. Desse primeiro grupo, em eleição interna, saiu a primeira diretoria com 9 componentes: Carlos de Alcântara, Daniel Buck, Éder dos Santos, Juliana Moreno, Leandro Alleoni, Pablo Cristian, Pedro Santos, Rafael Cinoto e Willian Fidêncio. E com esses pioneiros nasceu a ABCM.

Diretoria

Antonio M. Cecchini

Entusiasta do cubo mágico desde 2015 quando entrou em contato com as competições pela primeira vez e desde então se dedica a divulgar o Cubo Mágico com encontros, oficinas e organizando campeonatos. É Matemático e seu sonho pessoal é fazer sub-1 no 3x3.

Fabio Bini

Dono da loja Super Bini Cubos desde 2010, tem a maior coleção e a maior participação do Brasil em campeonatos. Monta cubos desde 2007 e já fez diversas oficinas em escolas, trazendo novos cubistas para campeonatos. Tem vontade de sobra para trazer Alegria ao mundo “cubístico”!

Fabio Seiji

Participa de atividades de cubo mágico desde 2013. Tem se esforçado pra juntar e organizar pessoas para colaborarem nos eventos. Já foram dezenas de oficinas, competições interescolares e campeonatos oficiais que contaram com participação por volta de 100 a 130 competidores.

Gustavo Penaforte

Tem 19 anos, organizou 5 campeonatos em Fortaleza, aprendeu a resolver o cubo em 2012, e até hoje ninguém entende o que ele fala, e continua na busca pelo recorde brasileiro do 2x2.

Hugo Leonardo

Treina o 3x3 desde abril de 2008. Mesmo tendo bons momentos e viajado milhares de quilômetros de ônibus indo a campeonatos, se afastou por 4 anos para se dedicar à atual profissão. Hoje, está de volta e pretende fixar o cubo mágico como esporte no Brasil.

Jhonatan Martins

Resolve o cubo desde 2011 e de lá pra cá se interessou cada vez mais, hoje é dono da loja ON CUBE. Já fez alguns eventos, oficinas e outros projetos e tem como objetivo fazer esse esporte crescer cada vez mais, trazendo mais acessibilidade e oportunidade a todos.

Larisse Nascimento

Se você busca uma pessoa dedicada, comprometida com tudo o que se propõe a fazer, encontrou a pessoa certa. Já ajudou na organização de campeonatos e oficinas e está sempre disposta a ajudar mais. Então não perca a oportunidade de ter essa pessoa carismática e alegre na ABCM.

Marius Riemdijk

Enxadrista e estudante de matemática. Aprendeu a montar o rubik's clock em 1991, mas logo o abandonando. O mesmo aconteceu com o cubo mágico em 1996. Retomou o cubo em 2011, desta vez em definitivo. Interessado sobretudo nas conexões com o ensino e com a matemática.

Rafael A. Cinoto

Resolve o cubo desde 2005, procura ensinar cada vez mais pessoas a resolvê-lo e espera que os campeonatos tragam muita alegria para todos.

Ronan Jorge

Tem 25 anos e está no cubo desde 2009. É candidato a delegado por São Paulo e sempre está disposto a ajudar e a aprender mais. Está na chapa por acreditar que o cubo pode crescer ainda mais e quer participar ativamente dessa busca.